quarta-feira, 20 de setembro de 2017

5ª. etapa da viagem de 5 a 12 ag. 2017 - Cannes - Portofino - Génova

De manhã cedo, como em todas as etapas, partimos de Cannes
em direção a Génova, passando por Sanremo e Portofino.
Achei graça às estufas de flores iguais às estufas de ananases
existentes na minha ilha dos Açores, São Miguel.
São de vidro caiado, como as açorianas que abrigam
os ananases de sabor único!
Sanremo foi apenas visita-relâmpago, já que as praias por ali
são todas idênticas, lindas, mas queríamos chegar a Portofino.
Em Margherita ainda fizemos uma investida pela estrada que nos levava a Portofino, mas a cinco minutos de percurso uma gentil agente da polícia aconselhou-nos a dar a volta e ir estacionar o carro no parque junto da estação de autocarros que nos levariam ao nosso destino apenas em vinte minutos.
Assim fizemos e, por apenas 7€ cada, comprámos bilhete de ida e volta.
Do autocarro fui fotografando a belíssima paisagem da costa
com praias e marinas repletas.
Lugares lindos e ótimos para quem aprecia multidões!
Na minha idade já é coisa que evito (multidões!) e, a bem dizer,
nunca me atraíram mesmo quando era nova.
E eis que chegámos ao tal Portofino!
Linda baía, pequena, aconchegante, sem enchente de turistas,
boa para apreciarmos calmamente o que nos rodeava, 
sentados na esplanada com uma cerveja bem fresca 
servida com uns salgadinhos, enquanto os nossos amigos se fotografavam 
naquele pequeno paraíso!
Apanhados em flagrante!
Brindámos à saúde dos nossos queridos amigos, lá ao fundo!
Por curiosidade fotografei uma montra com um casaco de tricô
já para o inverno. Talvez me inspire!
A refeição foi assim, mesmo aqui deste lado.
A seguir rumámos a Génova, cidade onde já estivemos várias vezes 
e que eu acho bonita.
 
 
As ruas estreitas fascinam-me, nem sei bem porquê!
Talvez o meu fascínio pelas ruas estreitas esteja aqui explicado:
esta, a via San Luca, por exemplo, 
é património da humanidade pela UNESCO.
Afinal não sou única a gostar destas ruas!...

E aqui em Génova ficámos no hotel Helvetia, antigo, confortável
e próximo de tudo o que queríamos ver!
Depois do jantar divertimo-nos como crianças grandes...
que afinal somos!
Tenho pena de não ter fotografado o nosso amigo 
a fotografar-nos! Foi tanto o riso causado a vê-lo em poses divertidas de fotógrafo,
que, mesmo sem registo, são imagens que ficarão gravadas para sempre na nossa memória.
E depois de outro dia intenso e muito agradável,
recolhemos ao hotel do século XVI, com espaços pequenos,
mas com todo o conforto desejável.